13 jun 2016

E depois disso tudo, como continuar?

13jun2016---australianos-prestam-homenagens-em-sydney-as-vitimas-do-tiroteio-ocorrido-na-florida-eua-o-primeiro-ministro-australiano-malcolm-turnbull(2)
Imagem: Rick Rycroft/AP

Que péssimo dia pra trabalhar, que péssimo dia pra viver, péssimo dia pra ser humana. Como deixar esse sentimento de tristeza e incapacidade de mudar o mundo de lado e simplesmente viver? A minha mente está cheia de pensamentos ruins sobre as pessoas, está cada dia mais difícil manter a fé na humanidade. Não encontro uma saída, não existe mais esperança dentro de mim.

O que aconteceu ontem, o que aconteceu mês passado, o que acontece há anos e diariamente é de me partir em mil pedaços. Eu continuo tentando me juntar notícia após notícia, mas quanto mais o tempo passa menos eu consigo sorrir. A verdade é que lidar com a sociedade vem sendo uma árdua tarefa de uns anos pra cá. Evito conversar, evito pessoas. Infelizmente a maioria das pessoas que convivo não são as pessoas que eu gostaria de ter do meu lado durante a maior parte do meu dia. Infelizmente tenho que conviver com gente machista, homofóbica, etc na maior parte do meu tempo e isso está me destruindo por dentro.

Eu só queria gritar pra todo mundo calar a boca e observar um pouco ao redor, ler uma poesia, estudar um bom livro, abrir a mente e o coração pra esse mundo maravilhoso em que vivemos e que ESTAMOS DESTRUINDO! Como as pessoas são mesquinhas e só pensam em ter mais tempo em ir pro cinema, em ir numa loja comprar o celular mais novo, em ter o carro 0 km… Eu só estou cansada disso tudo e queria sumir agora, sumir pra uma praia deserta e apenas respirar sem nada na minha mente, sem esse sentimento horrível no peito e esse nó na garganta… Não, eu não queria ir sozinha pra lá, eu queria levar todo mundo que se sente como eu, que queria sumir como eu e que se sente como eu em relação às pessoas.

Como continuar sendo fútil depois de tudo isso? Como continuar conversando merda depois de tudo isso? Como continuar olhando nos olhos de pessoas machistas e homofóbicas que TEMOS que conviver diariamente? Alguém me ajuda, porque eu não sei mais 🙁

Juliana Urquisa Postado por Tags:
9 Comentários

9 Comentários em "E depois disso tudo, como continuar?"

  1. Eu estava pensando exatamente nisso já a algum tempo…. Como as coisas estão se transformando…. e pra pior!
    Não existe mais relação entre as pessoas, não existe companheirismo, não existe o básico: Amor mesmo!
    Parece mesmo que a espécie humana não deu certo…. mas temos que pensar também nas boas coisas e boas iniciativas,.. vamos nos inspirar nas coisas boas!

    ——————————————————-
    VITOR DANTESCO
    IDENTIDADE CLICK – http://identidadeclick.wordpress.com
    ——————————————————-

    • Juliana Urquisa disse:

      Verdade, vamos nos inspirar nas coisas boas e tentar mudar o mundo através de nossas próprias ações. Tomara que consigamos inspirar outras pessoas também <3

  2. Parabéns pelo texto, Ju. Estou visitando seu blog pela primeira vez e me deparo com palavras fortes e corretas.
    Compartilho do mesmo sentimento e sinceramente, não sei se ainda acredito que a humanidade possa mudar… Me entristece ver homossexuais serem tratados como doentes, cristão serem tratados como lixo, mulheres serem tratadas como objetos de consumo… Queria descer desse mundo e ir para um lugar onde só exista amor e respeito…
    Será que existe?
    Bjus

    • Juliana Urquisa disse:

      É verdade, Mayara. Cansa demais. Estou me prendendo a uma frase que li quando adolescente e carrego dentro de mim desde então: Seja a mudança que você quer ver no mundo. Apesar de ser difícil, venho tentando 🙁 Obrigada pelo comentário.

  3. Ruby disse:

    A humanidade trilha caminhos estranhos e diferentes com extrema rapidez ultimamente. Parece que o mundo virou de ponta cabeça, Dificilmente alguém se importa com o outro a não ser consigo mesmo. Tá muito difícil, mas por enquanto é nele que temos de permanecer.

  4. Natalia disse:

    Eu também passo por isso, Ju. E sinceramente, não tenho uma resposta ou conselho para dar. O que procuro fazer é focar nas coisas boas e me cercar das pessoas boas. Aprendi a cortar relações completamente com tudo que vinha me fazendo mal, sem dó. Aquelas que não podemos cortar, por qualquer motivo, eu procuro ignorar. Eu penso constantemente em sair do Brasil, mas ao mesmo tempo acho que esse tipo de pensamento ultrapassado tem em todo lugar. Falta um monte de coisa, sabe? Às vezes dá vontade de sumir mesmo…quando isso acontecer, corre pro lado de quem te faz bem. Se ainda tem gente que pensa como a gente, mesmo que poucas, nem tudo está perdido. Melhoras!