Arquivo da categoria 'Blog'

30 abr 2016

Look do Dia – Poá + Insecta Shoes

Eu sei que no sul está o maior frio, mas aqui em Recife continua quente e abafado como sempre. Não estou reclamando, até porque eu realmente não sei o que prefiro, hahaha. Não sei se lidaria muito bem com o frio intenso, então por hora deixa eu aqui com o meu céu azul xD Isso apenas pra justificar meu look do dia bem verão, short jeans e blusinha fina, foi a roupa que usei pra ir pro 1º Festival Gastronômico Vegetariano de Recife do post passado.

Look do Dia - Poá e Insecta

Short jeans é uma peça obrigatória aqui por causa do calor. Fica bem com qualquer coisa, jogo uma blusa arrumadinha e dá pra sair à noite, ou com uma blusa mais despojada e estou pronta pra um passeio de manhã ou à tarde. E mesmo de short a gente ainda sua pra caramba, rs.




Look do Dia - Poá e Insecta
Look do Dia - Poá e Insecta
Look do Dia - Poá e Insecta
Look do Dia - Poá e Insecta
Olha meus fios de cabelo branco que AMO!

O óculos é da Artyeto e encontrei quando fiz o post com 11 marcas de óculos de madeira feitos à mão, semana que vem vou contar melhor sobre ele e a loja que comprei porque merece! O óculos é super leve e não é tão escuro, quando é muito escuro me dá sono. Sem falar no estilo!

Look do Dia - Poá e Insecta

Já mostrei esse sapato por aqui quando comprei, é um insecta, marca vegana que confecciona sapatos com tecidos comprados em brechó e cada peça é única. Esse meu se chama verano e não tem mais disponível pra venda.

Look do Dia - Poá e Insecta

Short: Renner | Blusa: Renner | Sapato: Insecta Shoes | Bolsa: Marisa | Óculos: Artyeto

Juliana Urquisa Postado por Tags:
6 Comentários
26 abr 2016

Resenha Condicionador Castanha do Brasil – Granado

Resenha Condicionador Castanha do Brasil - Granado

Eu sempre gostei dos produtos da Granado, mas nunca fui de usar muito antes de ser vegana. Atualmente sempre temos produtos da marca em casa e recentemente o meu marido escolheu esse condicionador pra ele porque não gostava do meu, terminou que ficou pra mim porque eu simplesmente AMEI.

A Granado não testa em animais e está buscando tornar todos os seus produtos veganos (sem ingredientes de origem animal), a maioria dos produtos são veganos. O condicionador castanha do Brasil é o único dos condicionadores da Granado que não possui ingrediente de origem animal. Esse condicionador é da linha Terrapeutcs e é indicado para cabelos secos. Meu cabelo sempre foi muito seco e cheio e ele foi o único até hoje que eu senti uma diferença real, senti meus cabelos hidratados de verdade!

Resenha Condicionador Castanha do Brasil - Granado




A embalagem é em bisnaga e a textura dele é bem firme, parece com uma manteiga, precisa fazer força pra sair da embalagem. Uma pequena quantidade garante a aplicação em todo o cabelo. Ele espalha muito bem e pela textura grossa tenho mais facilidade em levar o creme pra toda a cabeça sem precisar reaplicar mais produto na mão. O perfume é gostoso, mas bem suave, não sobrepõe o cheiro do shampoo.

Resenha Condicionador Castanha do Brasil - Granado

A linha Terrapeutcs também possui shampoo e condicionador para cabelos oleosos, normais e mistos, além de creme pras mãos, difusor de ambiente, esfoliante corporal, hidratante, sabonete líquido e muito mais. Os principais extratos naturais utilizados nessa linha são castanha do brasil, calêndula, lavanda e sete ervas.

O preço se adéqua ao mercado, comprei por mais ou menos R$ 12,00 no Carrefour da Torre, em Recife. Pela durabilidade vale muito a pena, já estou usando há uns 3 meses e ainda está longe de acabar.

Condicionador Castanha do Brasil 180ml (R$ 16,00 na Loja da Granado)

Enriquecido com extrato natural de Castanha, que possui propriedades hidratantes e antioxidantes. Sem parabenos. Indicado para cabelos secos. Uso diário. A Castanha-do-Brasil é uma noz nativa da região amazônica, conhecida também como Castanha-do-Pará e Castanha-da-Amazônia.

Juliana Urquisa Postado por Tags:
11 Comentários
24 abr 2016

Se você fosse taxista, o que pensaria da Uber?

Se você fosse taxista, o que pensaria da Uber?
Imagem: Blog Conecte

PARANDO PRA PENSAR sobre a intolerância tecnológica

No dia 22 de março no Jornal do Commercio saiu uma matéria sobre a discussão de taxista e motorista da Uber, apenas para reafirmar a intolerância a qual vivemos nos tempos hodiernos. Se o cara é índio e dorme na rua, a gente toca fogo. Se o cara é negro, a gente espanca. Se eu desejei e não me quis, a gente estupra e mata. Se bateu atrás do nosso carro, a gente desce com a arma já carregada e atira antes de ouvir as desculpas. Se olhou pro(a) nosso(a) companheiro(a), a gente espanca também. Se a velhinha tá na frente atrapalhando a passagem, a gente empurra e passa pra não se atrasar. Não tem problema nenhum. É normal… Opa! É normal… Olha aí! Incomode-se com a normalidade!

A intolerância hoje em dia não está presente apenas nas relações interpessoais, mas também na aceitação de novas formas de pensar e de fazer algo. É o que acontece com a Uber, uma inovadora forma de pensar e fazer o transporte de pessoas. A Uber iniciou suas atividades aqui em Recife no início desse mês e já se consegue baixar o aplicativo pelo AppStore e GooglePlay. As corridas ficam em torno de 30% mais baratas que as de taxi, por isso a revolta dos taxistas.




É de se entender o desespero de um(a) taxista, pai/mãe de família, com suas necessidades humanas básicas a enfrentar. No entanto, nada justifica o comportamento violento/intolerante diante de uma inovação. É preciso ter em mente que isso é inevitável. Muito em breve os carros não terão motoristas, a gente vai colocar o endereço no celular e vai chegar um carro conduzido por GPS acoplado ao volante e vai nos levar para onde quisermos, e com mais segurança, uma vez que ele respeitará as leis do trânsito roboticamente, do contrário, pelo fato de estar ligado 24h online com o DENATRAN, receberá a multa também online. Esse é o futuro.

E aí, nesse tempo, os motoristas da Uber quebrarão esses carros? E vai ser sempre assim? Então a gente não pode inovar? Não há permissão ético-moral para inovação? Os taxistas solicitam que o Estado tome uma providência. Então o Estado passará a suprimir o avanço tecnológico? Mas que porra é essa?!

Precisamos pensar que as coisas vão surgindo para o bem geral da população. É unir o útil ao agradável: o motorista da Uber lucra satisfatoriamente e nós, consumidores, pagamos por um serviço melhor e ao mesmo tempo mais barato. Isso tá errado? O que os taxistas precisam fazer é, de fato, cobrar alguma regulamentação por parte do Estado, para que realmente não vire zona. Isso é importante até para a segurança desses consumidores. No entanto, pedir para vetar uma coisa boa para todos aí é muita “semnoçãonidade”. E, além de cobrar, procurar meios de se diferenciar. A pergunta deveria ser “como poderemos ser diferentes e/ou melhores?” e não “como poderemos acabar com eles?”. A primeira pergunta é mais saudável e gera SEMPRE MAIS EVOLUÇÃO. Essa é a ideia.

A tecnologia vem para ajudar. Imaginem uma empresa que descobre como transformar a água do esgoto como adequada para o consumo humano. Sendo assim, todas as empresas de águas minerais vão processá-la porque isso é desleal com as empresas de venda e produção de água mineral? Peraí, né. Desse jeito é caminhar pra trás. Se for assim, daqui a pouco a gente tá acendendo o fogão batendo uma pedra na outra.

Alguém já testou os serviços da Uber? To curioso. Mas que tenhamos cuidado ao utilizar!
E, ao mesmo tempo, tenhamos a paciência para entender a desaprovação de um taxista.

Rafael Urquisa Postado por Tags:
4 Comentários
20 abr 2016

Adstringente Natural NatiEmporium

Adstringente Natural NatiEmporium

Estou usando esse adstringente da Nati Emporium há alguns meses e o recebi na VeggieBox de julho. Os produtos da Native Emporium são veganos e feitos artesanalmente e esse produto contem ingredientes que evitam a irritabilidade, ajudam na cicatrização e reduz inflamação. É indicado pra qualquer tipo de pele, oleosa, mista ou seca. Pode ser usado diariamente após a limpeza com sabonete e promete uma aparência mais saudável controlando a oleosidade e diminuindo a impressão de poros dilatados.




Adstringente Natural NatiEmporium

Tenho alguns produtos da Nati Emporium e gosto muito da marca, eles se preocupam com o bem estar do cliente e tem bastante cuidado com os ingredientes sempre presando por uma embalagem bonita e fácil de usar. Venho usando esse produto na remoção de maquiagem e supre perfeitamente, inclusive na parte dos olhos. Faço uma limpeza mais profunda à noite depois de lavar bem o rosto com sabonete. Mesmo lavando ainda ficam resíduos de maquiagem, então aperto 2 vezes na válvula colocando o produto no algodão e passo em todo o rosto.

Ele tem uma textura bem líquida e cor bege. A durabilidade é boa, mas noto que preciso passar bastante no algodão pra preenchê-lo pela textura ser muito líquida. O rosto fica bem limpo e o algodão bem sujinho, além da limpeza eu percebo também que ele deixa uma camada fina aveludada na pele e um cheirinho de limpeza relaxante. São justamente os ingredientes que auxiliam na melhora da pele como a hamamelis, arnica e camomila.

Produto natural por um preço bacana, feito à mão com muito carinho e sem teste em animais Super indicado!

Adstringente Natural Nati Emporium 20ml (R$ 12,00 no site UneVie)

Adstringente Natural, Artesanal e Vegano.
Pode ser passado durante todo o dia com um algodão. Controla a oleosidade da pele e trata de acnes.

Composição: Agua de Rosas com Hamamelis e Arnica, Água de Melissa e Flor de Laranjeira com Camomila, Combinação de Ervas, Bardana, Vitamina E e Óleo Essencial de Lavanda.

Juliana Urquisa Postado por Tags:
4 Comentários
18 abr 2016

5 Dicas para você começar a reciclar seu lixo

Já faz um tempo que tenho outra consciência com relação ao lixo porque meu pai sempre fez questão de separar as embalagens recicláveis pros catadores terem mais facilidade quando passavam na nossa casa. Foi graças a ele que aprendi a separar o lixo reciclável do orgânico. Quando me casei comecei a separar e usar as lixeiras individuais do meu prédio, depois descobri que aqui não existe coleta seletiva e mesmo a gente separando tudo bonitinho todo o lixo ia pro mesmo lugar. Então decidi levar pra Recife de 15 em 15 dias ou quando juntasse uma quantidade considerável.




A prefeitura de Recife dispõe de lixeiras ecológicas pra lixo reciclável em vários pontos da cidade, além de alguns supermercados também aderirem a ideia. Nós levamos no Pão de Açúcar ou em alguma lixeira da prefeitura. Para ver os pontos das lixeiras da prefeitura próximos de você acesse esse link e insira seu cep.

5 Dicas para você começar a reciclar seu lixo

Quando falamos em lixo é importante frisar que não existe “jogar fora” no contexto do planeta Terra. Todo o lixo que “jogamos fora” continua aqui conosco e precisamos começar a pensar no futuro, pensar de forma sustentável. A reciclagem é a solução mais barata e eficaz no momento pro problema do lixo. Infelizmente muita gente ainda joga lixo na rua, queima seu lixo, todo mundo reciclar ainda é uma realidade distante, mas quanto mais nos conscientizamos em como melhorar o sistema em que vivemos mais damos exemplo sem nem perceber.

Quando pensamos em reciclagem de lixo logo imaginamos que quem tem mais informação/estudo e mora em lugares melhores se atentam mais sobre isso, não é mesmo? Essa não é a realidade que convivo. Tenho contato com muitas pessoas de classe média e alta e uma pequena minoria manda seu lixo pra reciclagem. Noto que as pessoas vivem no automático: acorda, leva as crianças pra escola, vai pro trabalho, pega as crianças na escola, vai pra casa e dorme. As pessoas não querem mais uma preocupação além das tantas que já possuem (e isso é muito triste).

Vou contar alguns passos que eu faço pra reciclar meu lixo, pois muitas pessoas me perguntam e tentam começar sem saber por onde. É tudo muito simples, no começo pode ser difícil mudar sua rotina, mas com o tempo tudo fica automático e você vai se pegar guardando a garrafinha de água na bolsa pra mandar pra reciclagem 🙂 Vamos lá?

5 Dicas para você começar a reciclar seu lixo

1. Separe um lugar para guardar seu lixo reciclável

Pode ser um lixeiro novo bem baratinho aberto mesmo. Aqui em casa compramos esse de plástico e colocamos todo o lixo reciclável junto nele e só quando enche separamos por tipo. A prefeitura coleta sem precisar separar, já os supermercados dispõem de lixeiras individuais pra cada tipo de resíduo: vidro, alumínio, papel, plástico.

2. Lave as embalagens dos produtos que apodrecem

As embalagens dos produtos que ficam azedos devem ser lavadas. Ao acabar o produto, colocamos a embalagem na pia junto com os pratos a serem lavados, lavamos e deixamos no escorredor pra secar. Só depois de limpa e seca essa embalagem vai pro lixo reciclável. Como o lixo reciclável demora pra ser levado ou até mesmo coletado pela prefeitura, é importante que tudo esteja limpo pra não atrair baratas, insetos e ratos (tanto na sua casa, como na lixeira que fica na rua).

3. Separe o lixo por tipo em sacos diferentes

Isso vai depender de onde você vai levar seu lixo reciclável, pois como expliquei acima alguns locais coletam tudo misturado enquanto outros possuem lixeiras individuais. Eu prefiro separar pra ficar mais organizado.

4. Escolha um dia para levar seu lixo no ponto de coleta

Faça disso um compromisso e determine um dia na semana ou a cada 15 dias pra levar seu lixo reciclável. Se você possui carro fica mais fácil, pode juntar muito lixo e levar na mala e aumentar seu intervalo de tempo. Já pra quem anda de ônibus pode conversar com algum vizinho que tenha carro e de repente também conscientizá-lo a reciclar, quem sabe ele não poderia levar seu lixo também?

5. Escolha um local de coleta

Procure os pontos de coleta seletiva mais próximos de você no site da prefeitura da sua cidade ou verifique os supermercados. Quem mora na região metropolitana encontra mais facilidade nesse aspecto. Caso não tenha nenhum perto da sua casa, verifique também nas redondezas do seu trabalho. Acesse o mapa da prefeitura de Recife aqui.

A coleta de lixo reciclável triplicou nos últimos 5 anos em Recife e mesmo assim somente 0,3% do lixo é enviado pra reciclagem (Fonte: Diário de Pernambuco). Vamos aumentar esse número?

A animação que coloquei ali em cima é real, é o lixeirinho reciclável aqui de casa, rs. ADORO falar sobre reciclagem e sempre digo que sou aloka da reciclagem xD Espero que tenha ajudado e qualquer dúvida podem perguntar nos comentários, estou aqui pra ajudar 😉

Veja 13 passos para diminuir seu lixo diário.

6 Comentários
17 abr 2016

Você já concluiu seus estudos?

você já concluiu seus estudos
Imagem: vinanetflixbrasil.blogspot.com.br

PARANDO PRA PENSAR sobre a conclusão dos estudos

E aí, você já terminou seus estudos? Terminou o ensino médio? Terminou o curso técnico? Terminou a faculdade? E aquela pós-graduação? Massa! Depois disso, então, é só trabalhar; só colocar em prática o que aprendeu, né? Errado!

Assisti há pouco o filme “o aluno”, disponível no Netflix, que conta a história (real) de um queniano que começa a estudar aos 84 anos. Bem no começo do filme algum personagem fala a frase: “a educação é a chave e nós somos o cadeado”. Ou seja, sem a chave o cadeado vai permanecer fechado, a porta vai permanecer fechada. Não há desenvolvimento. Não há liberdade!

E, já no final do filme, a professora fala: “você não termina de aprender enquanto não tiver terra em seus ouvidos”. Isso quer dizer que o aprendizado não acaba. Não se tem idade para terminar de estudar. A conclusão dos nossos estudos é a maior bobagem que se colocou na cabeça das pessoas. Toda hora é hora!

Paulinho Moska diz em uma de suas músicas*: “todo dia é dia de aprender um pouco do muito do que a vida traz”. É exatamente essa a ideia. Diante de tanta coisa, todo dia é dia de aprender alguma coisa. Aí muitos pensam: “Poxa, mas já estou com 70 anos. Se eu começar uma faculdade agora só vou terminar com 74 anos”. Cara, veja só, independente de qualquer coisa, o tempo só corre pra frente. Sendo assim, em 4 anos você estaria com 74 com ou sem a faculdade. O tempo vai passar do mesmo jeito.

Outro ponto crucial do filme é o de que muitas vezes subestimamos as pessoas pelo que elas usam (ou deixam de usar), pelo que elas parecem ser (ou deixam de ser), pela idade delas (“- Velhos? Ah, velhos não servem para nada!”), por não estarem dentro dos “padrões normais” da sociedade, fechando-nos a não dar oportunidade para absorver qualquer coisa que venha daquela outra pessoa que julgamos “inferior”, quando, na verdade, podemos aprender muito mais com essas do que com aqueles que só vestem terno e gravata com pós-doutorado em Harvard mas só olham pro seu umbigo.

Então, se você acha que está velho demais para estudar ou que já concluiu os seus estudos, é bom parar pra pensar…


*Música de Paulinho Moska citada no texto:

Rafael Urquisa Postado por Tags:
1 Comentário
14 abr 2016

Sabonete Facial Suavizante da Multi Vegetal

Recebi o Sabonete Facial Suavizante da Multi Vegetal nas VeggieBox’s de agosto e dezembro e ele entrou no post top 10 dos recebidos de 2015. Depois de alguns meses de uso e bastante experiência com o produto trouxe a resenha pra contar as minhas impressões.

Sabonete Facial Suavizante da Multi Vegetal

O produto promete limpar e ajustar a oleosidade de forma suave e sem ingredientes que danificam a pele. Por não possuir o lauril não faz muita espuma, porém a limpeza é profunda e a oleosidade do meu rosto melhorou MUITO. Tenho uma pele muito oleosa e de vez em quando surgem espinhas, desde quando comecei a usar esse sabonete percebi uma diferença nessa oleosidade. Minha pele ficou com um tom mais homogêneo e aspecto mais saudável, as espinhas que já apareciam pouco, hoje são bem raras.

Sabonete Facial Suavizante da Multi Vegetal



Os cosméticos veganos e que não possuem ingredientes químicos muito agressivos possuem um cheiro incrível, venho notando isso de uns tempos pra cá quando comecei a usá-los. É agradável sentir o perfume e o toque suave na pele, relaxante. Uso esse sabonete à noite durante o banho e o perfume me ajuda a ter um momento de tranquilidade. Ele possui uma tampa tipo bico de pato e apertando apenas 1 vez até o final sai a quantidade ideal pro uso, o que facilidade muito na aplicação. A textura é mais pra líquida e cor marrom claro, transparente. Hoje estou na segunda embalagem do sabonete, ou seja eu amei MESMO!

Abaixo estão as informações técnicas e link onde comprar 🙂

Sabonete Facial Suavizante da Multi Vegetal 120ml (R$ 22,10 na Loja da Multi Vegetal)


Sabonete Facial Neutro de ação suavizante. Para limpeza da face antes da aplicação de cremes. Retira o excesso de oleosidade, suaviza peles com tendência a irritações

Indicado para:

– Peles Normais: Limpeza diária
– Peles Sensíveis com tendência a irritação: Limpeza e Suavização
– Peles Oleosas: Limpeza e equilíbrio da Oleosidade
– Peles com Acne: Limpeza, equilíbrio da Oleosidade e Suavização de Irritações

Contém:

– Camomila – Chamomilla recutita
– Babosa – Aloe sp.
– Arnica – Arnica montana
– Calêndula – Calendula officinalis

Fórmula Livre de lauril sulfatos, parabenos, etanolaminas, corantes, fragrâncias artificiais, polímeros sintéticos, produtos derivados de petróleo ou de origem animal – PRODUTO NÃO TESTADO EM ANIMAIS

Fórmula:

DECYL GLUCOSIDE; LAURYL GLUCOSIDE; CALENDULA OFFICINALIS EXTRACT; CHAMOMILLA RECUTITA EXTRACT; ARNICA MONTANA FLOWER EXTRACT; ALOE BARBADENSIS LEAF JUICE; XANTHAN GUM; POTASSIUM SORBATE; SODIUM BENZOATE; BENZYL ALCOHOL; CITRIC ACID; LAVANDULA OFFICINALIS FLOWER OIL; MENTHA PIPERITA OIL; AQUA

Juliana Urquisa Postado por Tags:
8 Comentários
10 abr 2016

Por quê? Porque é normal.

Olá!
Bom dia!

Por que as pessoas fazem de um modo e não do outro?
Já pensou que muitas vezes fazemos as coisas simplesmente porque é socialmente normal?
Não é sempre, mas talvez isso possa ser um problema.

por quê? porque é normal

Imagem: abihbrasil.blogspot.com.br

PARANDO PRA PENSAR sobre a deletéria normalidade

Incomode-se com o “é porque é normal”, “é porque aqui é assim”, “é porque é a rotina do serviço”. Isso não é justificativa para nada!

Se você observar na história, ninguém nunca se destacou fazendo o normal, o de sempre, a rotina. Não estou falando que precisamos revolucionar o mundo e mudar tudo. Não é isso. Mas, simplesmente, na possibilidade de uma nova estratégia ou de um novo olhar, jamais aceite o argumento de uma outra pessoa falando para você continuar do jeito que está pelo fato de que “isso já é a rotina do serviço”.

Permita experimentar. Se der merda a gente volta para o que tínhamos antes, para a “segurança” de antes. Para saber se realmente a realidade atual é a melhor, precisamos de uma comparação com outra. Mas para haver outra realidade é preciso inovar a atual. E não se faz isso com a mentalidade fixa de que “assim é normal”, “já é rotina”, “tá bom assim”, “já estamos acostumados”.

Eu ficava muito irritado (mentira, eu ficava puto mesmo) quando estava em estágio nos hospitais e perguntava alguma coisa para a professora: – “Por que eles fazem assim aqui?” / “Por que eles fazem desse modo?” / “Por que isso é assim e não como a gente viu na aula/no livro?”. E obtinha a resposta que eu não desejo a nenhum estudante/aprendiz/formando: – “Porque é rotina”. Puta que pariu. Isso não existe! O mínimo de zelo que um EDUCADOR poderia ter era não tolher o espírito crítico do seu EDUCANDO.

“Porque é rotina” não é resposta, acima de tudo quando se trata de uma formação universitária. Já imaginou você estudando Administração de Medicamentos, por exemplo, e tem lá escrito na melhor literatura do ramo: “volumes maiores que 3 ml devem ser aplicados no glúteo, pois sempre foi assim e nunca houve relatos de problemas”. Caralho! Como assim? Isso é ciência? ​​Ok, pesquisadores afirmarão que o científico parte da hipótese. Concordo. Mas, calma… Se estivéssemos no século II A.C. essa afirmação do livro seria razoável, aplicável. Mas o​ tempo é outro. E, definitivamente, existem​ fundamentos melhores!

E o pior de tudo é um professor reforçar isso: a política do “é porque é rotina”. Aí a pessoa pensa: “Porra, essa galera estudou pra aplicar a rotina? Caramba, mas que bosta de formação é que estamos tendo?!”. O professor tem que ter em mente de que sua função, além de simplesmente passar o conteúdo, é de mediar o conhecimento, de transformar a vida do ser que aprende. E, como disse a Bel Pesce, “o segredo da transformação está em como você faz a pessoa se sentir”. Professores precisam fazer os seus alunos se sentirem FODA, para que a transformação seja nessa direção, de ser FODA. Se você faz um aluno se sentir um idiota, aí vai dar merda.

E você, o que pensa sobre isso?

Rafael Urquisa Postado por Tags:
5 Comentários
06 abr 2016

Resenha Gel Esfoliante Para o Rosto da Cativa




Resenha Gel Esfoliante Para o Rosto da Cativa

Recebi esse gel esfoliante para o rosto da Cativa Natureza na VeggieBox de julho e foi um dos meus produtos preferidos da caixinha de beleza vegana. Como vocês sabem nunca fui muito vaidosa e de comprar/usar cosméticos, isso mudou quando decidi assinar a caixa no ano passado e os frutos desse investimentos foram muitos bons! Hoje cuido mais de mim, do meu corpo, rosto e cabelos.

Esse gel tem como principal ativo a erva-mate e eu sinto um frescor delicioso quando uso, além do aroma de alecrim que me dá uma sensação de tranquilidade e limpeza. A “areinha” é feita de arroz e promove uma limpeza leve na pele, ideal pra quem procura uma esfoliação menos agressiva como eu. Quem está acostumado com esfoliantes mais ásperos e sente essa necessidade pode não gostar muito desse, mas pra mim foi ideal. Como eu não tinha o costume de esfoliar o rosto pude começar acostumando a pele de forma mais suave.

Resenha Gel Esfoliante Para o Rosto da Cativa

Ele tem uma coloração marrom claro e textura bem firme, a embalagem vem com 60 gramas e rende muito! Eu uso 1 vez por semana e uma pequena quantidade já consigo espalhar no rosto todo. Massageio bastante e depois removo com água abundante até sair todo o produto. A pele fica lisinha e pronta pra receber um bom hidratante pra dormir. Recomendo o esfoliante, porém frisando que é para pessoas que buscam uma esfoliação menos agressiva.

Gel Esfoliante de Erva-Mate – Cativa Natureza (R$ 29,00)

Características:

O gel esfoliante com insumos orgânicos rastreados de Erva-Mate Cativa Natureza, tem textura e toque agradável, elaborado com Erva-Mate e esfoliante natural de arroz, retira as impurezas da pele, preparando-a para a hidratação, deixando um agradável perfume do óleo essencial de alecrim e extrato aromático de Green Tea.

Como usar:

Aplique o Gel Esfoliante de Erva-Mate na pele com movimentos suaves de esfoliação. Retirar o excesso com água.

Livre de parabenos, liberadores de formol, corantes sintéticos e fragrâncias sintéticas, conservantes sintéticos e sulfatos. Embalagem biodegradável. Não testado em animais.

Mais um queridinho que nunca vou deixar faltar em casa Vocês usam esfoliante pro rosto? Já usaram esse? Me contem quais vocês usam pra eu ficar por dentro desse mundo de cosméticos, rs 😀

Juliana Urquisa Postado por Tags:
6 Comentários
03 abr 2016

Seja burro, mas não entregue seu certificado de burrice!

 photo amarillo.jpg

PARANDO PRA PENSAR sobre a burrice inteligente

Falaremos sobre a burrice inteligente. Claro, por que não? Tenho certeza que vou ser mal compreendido e julgado pelas ideias, mas faz parte. A discordância também nos torna melhor, faz abrir a cabeça e pensar de outro modo, além do qual o nosso software mental está configurado.




Pois bem, certa manhã estava eu em uma entrevista de emprego fazendo a primeira etapa da seleção dos interessados à vaga. Essa primeira etapa consistia em uma prova de conhecimentos específicos para a área de emergência, uma redação e um questionário com umas viagens de Psicologia lá, talvez para entender/avaliar meus comportamentos, perfil, etc. A mulher do RH me entregou a papelada com uma caneta azul, sentei e comecei. Havia uma mulher sentada na minha diagonal à direita que eu nunca vi na vida e um homem duas cadeiras à frente dessa mulher. Enquanto eu, concentrado, fazia a minha prova, ouvia (infelizmente) a mulher se queixando que a prova tava difícil, que não tinha estudado, tentando puxar conversa com o cara da frente e também tentando obter algum lucro desse diálogo, como possíveis respostas para SUA prova. Fechei os ouvidos com os indicadores, apoiando os cotovelos na bancada, para seguir concentrado fazendo a MINHA prova. Pela visão periférica notava a garota inquieta e, por vezes, fazendo alguns movimentos estilo O Exorcista para ver se conseguia entender alguma coisa em azul da minha prova, o que pra mim não fazia diferença. Não sabia o cargo, não sabia nada dela, mas com aquela postura, ainda que copiasse a prova inteira e obtivéssemos nota igual, não era ameaça. E, pra falar a verdade, sempre pensei que a ameaça somos nós mesmos. Se eu sei que estudei, que estou preparado, não importa mais ninguém. Não importa a concorrência. A “luta” sou eu versus eu e o resto versus o resto.

Depois de algum tempo de sofrência, escuto: “tu num sabe essa daqui, não?”. Por mais que eu entendesse o desespero, até porque todos nós já passamos por isso, seja na escola, em um vestibular, em um concurso, etc., não podia fazer nada. Eu simplesmente disse que: “Não, sei não.”, com uma expressão facial e gesto de “sinto muito / boa sorte / não posso ajudar aqui e agora / e preciso fazer a minha também”. Passado mais um tempo, quando umas das mulheres do RH passa próximo da sala, essa candidata se levanta e entrega o seu certificado de burrice ao RH: “Olha, a prova tá difícil. Não estou conseguindo fazer. É que eu não estudei, sabe? A gente pode marcar outro dia?”. Nesse momento eu precisei parar a minha prova e direcionar outros órgãos do sentido para o que estava acontecendo, para saber se não era apenas uma alucinação auditiva. A recrutadora (não sei se podemos chamar assim; to tentando evitar usar o termo “a mulher do RH”) disse que tudo bem, aceitando a devolução das provas de forma simpática e compreensiva.

Destaquemos uma coisa: a ideia dessa reflexão não é dar ênfase de que não se pode desconhecer as coisas, de que não se pode ser ignorante em um determinado assunto, de que não se pode ser burro nunca, de que você tem que sempre saber das coisas. Não é isso! Jamais! Isso seria extrema presunção e arrogância. No entanto, mesmo diante de uma situação em que você seja o mais burro é preciso agir inteligentemente (não estou comparando a ninguém, refiro-me ao mais burro de você, ao mais burro que você pode ser, até porque isso é extremamente relativo; eu sou burro pra caramba em história, por exemplo, mas não sou em biologia).

E não estou falando que ser inteligente é você OMITIR, ESCONDER, MENTIR que não sabe de algo. Isso é arrogância, falta de humildade. Inteligência nesse ponto seria você reconhecer suas limitações e perceber o QUANTO ISSO PODE COMPROMETER o trajeto até o seu objetivo (no caso, alcançar a vaga pretendida) e correr atrás do prejuízo. A mulher poderia ter feito qualquer coisa, como TENTAR responder o que viesse na cabeça, deixar em branco alguma questão, qualquer coisa, menos ter entregue o Certificado de Burrice. Não é possível que ela não soubesse de absolutamente nada. Eu estou brincando com esse termo, mas isso não quer dizer que a mulher seja realmente burra. Entendam-me. Ela poderia estar com alguns problemas pessoais, sei lá. “N” fatores podem ter levado à “burrice”. No entanto, para a empresa, para o RH, ao se comparar com todos os outros candidatos, essa mulher entregou o seu Certificado de Eliminação Automática de Burrice. Esse certificado garante 100% de chance de eliminação em qualquer seleção que se faça na vida (e se existir vida após a morte, também!!!). Garanto! Podem fazer o teste.

Não sou consultor, nem recrutador, mas com um mínimo de raciocínio não é difícil concluir que ninguém quer trabalhar com um profissional que: 1) não está preparado para resolver problemas dentro de sua área/especialidade; 2) desiste de continuar no processo porque se vê incapaz ou, pior do que isso, além de se vê, mostra-se incapaz. Isso quer dizer que é um profissional descartável no mercado? Não, absolutamente não. Pode ser que o investimento nessa pessoa a torne a melhor do Estado. Mas é inegável que é um critério importante de escolha. Pode ser que o investimento seja eficaz, mas pode ser que a pessoa realmente seja uma “porta”. Então, é um critério, queiramos ou não.

Eu tenho certeza que qualquer pessoa pode, a partir desse acontecimento, dar a “volta por cima” e em outra oportunidade fazer uma prova excelente. Mas estou me referindo àquele instante, àquela empresa, àquela prova, àquela recrutadora, àquela ATITUDE. Talvez as coisas corram melhor em uma outra circunstância, mas essa oportunidade já era, o filme já foi queimado, a bala já foi gasta, e a primeira impressão ficou/marcou. Mas isso é muito radicalismo, Rafael. Sim, é. Mas não é a verdade? Antes de ser radicalismo ou não, é a verdade. Infelizmente.

Isso pode acontecer com qualquer um de nós, e tudo que acontece serve para a gente reconhecer as limitações e crescer. Isso faz parte da humildade. No entanto, não se expor dessa forma, nessa determinada circunstância não cabe como arrogância, mas proteção; pois, você pode terminar passando uma ideia de que não necessariamente é a sua essência. E em um momento como esse não seria legal deixar essa “primeira impressão”.

“A gente pode marcar outro dia?”. A recrutadora não respondeu nada; apenas compreendeu o momento. Mas eu imagino (99% de probabilidade) que a resposta na cabeça dela foi “Não, não pode. Sinto muito”. Lembra do outro texto de oportunidades? Uma oportunidade foi gasta, foi perdida. Mas o efeito dessa perda poderia ter sido amenizado. Não é porque você sujou a mão de merda que agora você vai colocar na boca, entende? Sejamos inteligentes até mesmo na burrice!

Rafael Urquisa Postado por Tags:
2 Comentários