15 mar 2018

Eu li: Wytches – Darkside Graphic Novel

Estacionei algumas leituras pra me dar o prazer desse HQ. Andei presa em livros ruins por meses, sem querer “abandonar” leituras que não me cativaram. Parei depois de ver um vídeo falando sobre isso de: se dar o prazer de abandonar leituras massantes. Parar de desperdiçar seu tempo com algo que não te faz bem naquele momento, se permitir fazer isso às vezes. Peguei Wytches – Darkside Graphic Novel, que ganhei de natal e não consegui mais soltar.

Wytches - Darkside Graphic Novel

Wytches – Darkside Graphic Novel

Faz tempo que não leio HQ, o último foi alguma coisa do Batman e Coringa. Eu sempre gostei de histórias em quadrinhos por ser algo leve, rápido e trazer desenhos incríveis. AMO desenhos, na adolescência desenhava bastante. Apesar dessa não ser uma história leve (nem o HQ do Batman e Coringa que li há uns anos), é sempre bom começar algo e terminar rápido sem precisar passar horas do seu dia sentada com o livro na mão.

Wytches – Darkside Graphic Novel foi lançado em 2017 e o autor se chama Scott Snyder. Grande fã de terror desde criança, o Scott sonhava em ser desenhista, mas terminou virando roteirista e escritor. Scott é autor exclusivo da DC comics, responsável por Batman atualmente (sente a responsa). Esse livro foi escrito pelo Snyder e desenhado pelo Jock, e conta com uma equipe de 6 pessoas no total. Wytches fez um sucesso que surpreendeu até mesmo seus criadores! Eles esperavam vender 40 mil sendo otimistas, venderam mais 90 mil exemplares só nos 2 primeiros capítulos. Acho que o público anda carente de boas histórias de terror, heim?

Wytches - Darkside Graphic Novel

Esqueça tudo que você sabe sobre bruxas (ou seria brvxas?), Wytches traz uma história nova e aterrorizante sobre esses seres como jamais foram vistos. Quando a família Rooks se muda pra uma cidadezinha pra tentar esquecer um trauma e recomeçar a vida, algo maligno e impiedoso espera por eles na floresta vizinha. Observando das árvores: “- Jura é jura”. Nada de caldeirão com receitas e vassouras voadoras, aqui as brvxas comem criancinhas e conseguem realizar qualquer desejo.

Lá fora o HQ foi publicado em 6 capítulos de revistinha e a Darkside juntou todos nessa edição capa dura, usando a capa do 1º capítulo. No final do livro encontramos 5 textos, 1 pra cada edição de hq lançada lá fora (exceto o 2º capítulo que não teve texto inicial do Scott). Nesses textos o Snyder fala sobre sua infância, sobre como surgiu a ideia da história Wytches, sobre seu filho, experiências pessoas, além de conter páginas com detalhes dos rascunhos, desenhos e coloração.

Wytches - Darkside Graphic Novel

Sobre a história

A história mescla passado e presente entre páginas, gostei bastante disso, deu um ar dinâmico e rápido e as histórias intercaladas faziam sentido, como se explicassem algo no futuro, um efeito borboleta. Tudo gira em torno da família Rooks que se mudou recentemente depois que Sailor passou por algo traumático. Os Rooks tentam se adaptar a nova rotina com a adolescente Sailor que sofre de ansiedade, pesadelos, etc. O pai, sempre presente, tenta apoiar como se quisesse compensar algo no passado. A mãe paraplégica soa bem impessoal desde o começo do livro e depois entendemos o motivo. O final é surpreendente, eu não imaginei!

Hoje fazendo essa resenha, reabri o livro do começo e relembrei coisas do início da história que da metade pro fim se encaixam! Eu tenho péssima memória kkkk É uma história bem pensada onde tudo que nos mostram no primeiro capítulo tem perfeito encaixe quando as coisas começam a ficar tensas. Um roteiro incrível. Estou ansiosa pelos próximos 6 capítulos, mas infelizmente ainda não tem data de lançamento :~

Vocês gostam de HQ? Qual o último que leram?

Leia também: O Guia do Mochileiro das Galáxias

Juliana Urquisa Postado por Tags:
8 Comentários
13 out 2017

O Guia do Mochileiro das Galáxias

O Guia do Mochileiro das GaláxiasO Guia do Mochileiro das Galáxias
Autora: Douglas Adams
Ano: 2009
Páginas: 208
Editora: Arqueiro

Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, O guia do mochileiro das galáxias vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect.
A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do mochileiro das galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário.
Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da “alta cultura” e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.

Sabe aquela fase em que tudo dá errado, sua vida tá uma bosta, e você precisa se distrair com algo leve pra espairecer? Foi num momento assim que tive a oportunidade de ler O Guia do Mochileiro das Galáxias que recebi emprestado de uma pessoa muito especial. Confesso que tinha preconceito com essa estória por causa do filme, que eu sequer consegui passar dos 15 minutos, detestei!

O livro me surpreendeu desde a primeira página com sua escrita simples e divertida. Não consegui passar 1 página sequer sem dar uma boa gargalhada. Me fez esquecer dos problemas e querer chegar rápido no final pra saber o que ia acontecer naquela estória maluca e sem noção do Douglas Adams. Como alguém consegue ter tanta criatividade pra coisas aleatórias?

O Guia do Mochileiro das Galáxias é um livro num dispositivo com tudo o que precisa saber pra viajar pelo universo, basta pesquisar e pronto, as informações surgem na tela. Lembrando que bem na frente tem escrito NÃO ENTRE EM PÂNICO, que já ajuda 99% das pessoas que os têm nas mãos, rs. A estória gira em torno de Arthur e Ford e como a Terra teve um péssimo destino final por causa de alguma coisa sem sentido nenhum. Então somos levados a uma viagem no espaço com Ford e Arthur entrando em várias confusões hilárias. As piadas sarcásticas dos dois e as situações inusitadas que aparecem são um prato cheio pra gente cair na risada e esquecer de tudo ao redor. Estou ansiosa pra ler o próximo, provavelmente só lerei quando terminar uma lista infinita de livros da meta de 2016 :~

Juliana Urquisa Postado por Tags:
1 Comentário
19 maio 2016

Resenha A Política Sexual da Carne de Carol J. Adams

A_POLITICA_SEXUAL_DA_CARNE_1344426450BA Política Sexual da Carne – A Relação Entre o Carnivorismo e a Dominância Masculina
Autora: Carol J. Adams
Ano: 2012
Páginas:n352
Editora: Alaúde

Publicada pela primeira vez no Brasil, esta edição comemorativa de 20 anos traz o texto de uma das principais referências teóricas para a compreensão e o estudo das influências de uma sociedade patriarcal nos hábitos alimentares e na relação de seus membros com as mulheres e os animais. É impossível ficar indiferente à tese defendida por Carol J. Adams de que a matança de animais e a violência contra a mulher estão intrinsecamente ligadas. Mais que pregar uma dieta sem carne, esta obra polêmica e provocadora promete estimular as reflexões e os debates necessários para que se construa um mundo mais igualitário.

Terminei de ler esse livro faz algumas semanas, mas confesso que tive medo de escrever algo sobre ele e não ser à altura. É como escrever uma resenha sobre algo que nem sei explicar, com certeza vou reler um dia, encaro essa obra como uma bíblia pro feminismo e vegetarianismo e foi uma bagagem tão grande de conhecimento no decorrer da leitura que ainda tento digerir todo o aprendizado.

A Política Sexual da Carne - Carol J. Adams

Carol J. Adams conseguiu reunir relatos e história real, a bibliografia é gigante constando todas as referências, então é impossível fechar o livro e pensar algo como “Nossa, que viagem” porque infelizmente, é tudo real, é história. A autora faz uma análise sobre como o feminismo e o vegetarianismo sempre estiveram de mãos dadas, como as feministas mais citadas da história foram vegetarianas, mas esse aspecto nunca aparece em suas biografias.




A Política Sexual da Carne - Carol J. Adams

A ligação entre o patriarcado, a política sexual por traz do consumo da carne, os homens elevados ao posto de líderes do lar e da sociedade. O domínio daqueles que se alimentam de determinada forma e como o vegetarismo veio ganhando forças nos últimos 100 anos. Como após a segunda guerra mundial o vegetarianismo cresceu e no que isso interferiu na vida das pessoas. As mulheres e sua relação com a carne e o dever de preparar a comida dos homens, a sexualização dos animais e a animalização das mulheres frente ao controle do sexo masculino são assuntos abordados por Carol.

A Política Sexual da Carne - Carol J. Adams

Uma das coisas mais interessantes foi quando Carol mostra os livros antigos que tratavam o consumo da carne de forma sutil. Grandes escritores e estórias que eu jamais tive conhecimento que determinados personagens eram vegetarianos (como Frankestein que é vegetariano na obra e nunca tinha lido nada sobre isso) e como isso influiu na sociedade. Passei a ver as propagandas e certos comentários do dia a dia de forma diferente, como se tivesse aberto a mente pras entrelinhas postas à nossa mesa diariamente. Carol precisou correr muito atrás e pesquisar em bibliotecas e com os amigos e familiares das pessoas que ela escreveu porque a maioria das coisas não está disponível facilmente na internet, principalmente como as feministas estavam ligadas diretamente a causa animal. Entendi que oprimidos entendem oprimidos e as mulheres antigamente (hoje ainda somos oprimidas, mas antigamente bem mais) compreendiam a causa animal em sua maioria e sempre estavam em protestos tanto pessoalmente, como entre seus amigos e onde elas escrevessem.

Uma boa reflexão também é a forma como o homem está intrinsecamente ligado à morte, tanto com a caça, como com as guerras, e as mulheres à vida. O poder de gerar uma vida interfere diretamente na forma como as mulheres lidam com a vida. Um exemplo interessando no livro é: Quando uma mulher vê um animal ferido na floresta, ela pensa em cuidá-lo, enquanto que o homem pensa em matá-lo. Estou falando no contexto histórico, claro que os homens vem evoluindo muito, mas historicamente falando os homens sempre foram aqueles que devem caçar, que não sentem pena, que devem ser os machos, que vão pras guerras, etc.

A Política Sexual da Carne - Carol J. Adams

O livro também traz várias citações de feministas, médicos e escritores. Separei alguns:

“Para ser feminista, a mulher precisa primeiro se tornar feminista. As feministas não percebem coisas diferentes das percebidas pelas outras pessoas; elas percebem as mesmas coisas, de maneira diferente. A consciência feminista, posso arriscar dizer, transforma um ‘fato’ numa ‘contradição'”.
– Sandra Li Bartky

“Quase não há seres humanos no curso da história que tenham morrido por um disparo feito por uma mulher; a imensa maioria dos pássaros e feras foi morta por vocês, não por nós.”
– Virgínia Woolf em Sociedade das Excluídas

“O homem andava com o animal, inquilinos do mesmo teto;
A mesma mesa ele tinha, e a mesma cama;
Nenhuma morte o vestia, nenhuma morte o nutria.”

– Alexander Poper em Éden

“Tinha tido o prazer, pelo menos, de morrer de morte natural.”
– Margareth Drabble em A Era do Gelo quando um faisão morre de ataque cardíaco.

“Acho que você devia perguntar quem começou a comer carne, e não quem recentemente a dispensou.”
– Plutarco em resposta a alguém que lhe pergunta por que Pitágoras se abstinha de comer carne.

“Por que você me pede para lhe dar satisfação por comer decentemente?”
– Bernard Shaw ao ser indagado por que era vegetariano.

“Eu poderia lhe dizer agora que sou vegetariana, mas vamos deixar isso de lado. Não vou entrar nas razões. Se você não as entende, não há muita coisa para dizer; e, se as entende, não preciso dizer nada.”
– Lynn Meyer em Thriller de Bolso

A Política Sexual da Carne - Carol J. Adams

Comprei o livro no VegFest e consegui o autógrafo da autora, legal porque foi na semana do meu aniversário e foi um presente e tanto. Carol viaja o mundo dando palestras sobre esse e seus outros dois livros (The Pornography of Meat e Living among Meat Eaters) que ainda não foram trazidos pro Brasil. Eu tinha uma leve noção de que o vegetarianismo e feminismo estavam interligados por causa do facebook e como as fêmeas das outras espécia são oprimidas, exploradas e estupradas diariamente pro prazer culinário, muito mais do que os machos, mas esse livro traz um contexto histórico desde quando nós mesmas, mulheres humanas tínhamos mais conhecimento disso e éramos mais empáticas com relação à isso.

A Política Sexual da Carne - Carol J. Adams

Percebo que no decorrer dos anos o feminismo se distanciou do vegetariano, infelizmente, talvez isso se deva aos avanços sociais e ao distanciamento da carne em si como animal da sociedade, o meio rural se distanciou do meio urbano e isso contribuiu pra alienação sobre como e de onde vem a carne e como ela é produzida. Li algumas resenhas criticando o livro e uma maioria elogiando. Pra mim é um livro obrigatória pra todas as pessoas, homens, mulheres, vegetarianos ou não. Ele abre os olhos, destaca hábitos inconscientes do ser humano tornando-os questionáveis, ou seja faz a gente pensar e tudo que abre a nossa a mente é bom pra sociedade em geral. Mas principalmente pras mulheres por ter um contexto em que elas estão inseridas como oprimidas e pra conhecimento sobre feminismo e vegetarianismo.

Juliana Urquisa Postado por Tags:
2 Comentários
01 mar 2016

Book Tour: Chinelo de Pano – Maria Edna

CHINELO_DE_PANO_1402336788BChinelo de Pano – Caminho seguro para a espiritualidade
Autora: Maria Edna Holer de Oliveira
Ano: 2013
Páginas: 160
Editora: Íthala

Quando perdemos pessoas a quem amamos profundamente, nos fazemos perguntas que nos colocam diante de emoções e conflitos existenciais jamais experimentados. As respostas a essas perguntas podem ser surpreendentes, sobretudo quando estamos dispostos a seguir em frente, apesar das dores da alma. O livro Chinelo de Pano é a descoberta da espiritualidade como ferramenta para uma vida mais plena, trata da luta constante para alcançar o equilíbrio, a paz e a alegria de viver.

Book Tour - Chinelo de Pano

Fui convidada pra participar do Book Tour do livro Chinelo de pano da autora Maria Edna através do Skoob e aceitei. Book tour é quando 1 livro viaja por várias cidades com o objetivo de divulgação. Cada leitora envia pra próxima quando termina de ler e assim a autora permite que várias pessoas conheçam seu trabalho, façam resenha, etc. É uma ótima ideia e como eu adoro ler e também curto receber e enviar coisas pelos correios (como antigamente, cartas, etc) sempre que posso participo de book tour e mando uma cartinha junto com o livro pra próxima leitora.




Chinelo de Pano conta uma história real sobre superação através da fé e auto conhecimento. A história fala sobre a perda de uma pessoa querida e como isso impacta na nossa vida. O caso aconteceu com a autora, Maria Edna, e foi essa grande perda que a fez começar a escrever. Inclusive ela possui outros livros publicados de contos, mas esse é a história de como tudo começou.

Book Tour - Chinelo de Pano
“Minhas escolhas me trouxeram exatamente onde escolhi estar. A soma dos meus dias se resume na construção da mulher que desejo ser. Escolhi o doloroso e árduo caminho ao enfrentar minhas dores: as dores da existência. Escolhi lutar por minhas escolhas, e descobri em mim uma força interior poderosa.”

Algumas pessoas são mais sensitivas do que outras e no livro vemos bastante disso, no decorrer da história vemos a autora conhecendo o espiritismo pra superar a dor da perda e continuar sua vida sem se entrega à tristeza e depressão. Conhece várias pessoas pelo caminho que a ajudam a perder o preconceito contra a doutrina e é através da fé que dá a volta por cima e consegue se reerguer. Ela deixa claro que é a fé e a força de vontade que consegue nos trazer de volta ao cotidiano, independente de qualquer religião, mas algumas nos identificamos mais do que outras.

Book Tour - Chinelo de Pano

Com apenas 160 páginas a leitura é rápida, porém encontrei alguns problemas com a edição e erros de português e concordância, além de existirem trechos repetidos, o que me tirou a atenção em algumas partes. Acredito que uma melhor revisão resolveria esses pequenos problemas e espero que na próxima edição estejam sanados. A autora escreve muito bem e vai e volta das situações de forma bem dinâmica.

Na foto abaixo o livro prontinho pra ir pra próxima leitora, direto de Recife pra São Paulo 🙂

Book Tour - Chinelo de Pano
“O ser humano é responsável pelos tormentos que cria para si mesmo, através dos pensamentos que alimenta e dos atos que pratica. Cada ser é responsável por tudo que faz e, cedo ou tarde, responderá por seus atos, não importa o tempo que leve.”

Uma história de superação e de compreensão, onde aprendemos através das experiências reais da autora a ter mais amor, calma e paz interior pra então viver uma vida plena apesar dos problemas cotidianos e pedras que aparecem em nosso caminho.

Juliana Urquisa Postado por Tags:,
1 Comentário